Mapas - Atualizado em Março/2019

   

Monitoramento das Águas Superficiais

Atualmente, a rede fluviométrica e pluviométrica da Adasa é constituída por 57 estações, 16 telemétricas, 28 automáticas e 13 manuais. Para o ano de 2019, destacamos a continuidade na implementação de estações telemétricas para acompanhar, em tempo real, o comportamento dos recursos hídricos do Distrito Federal, visando promover a sua gestão sustentável.

O mapa atual da rede de monitoramento das águas superficiais encontra-se na figura abaixo.

E a lista completa das estações hidrometeorológicas da Adasa também pode ser visualizada no Sistema de Informações sobre Recursos Hídricos – SIRH (http://gis.adasa.df.gov.br/portal/home/index.html).

mapa1

Figura 1: Rede de monitoramento de águas superficiais operadas pela ADASA.

Monitoramento das Águas Subterrâneas

A Rede de Monitoramento das Águas Subterrâneas foi estruturada para abranger a maior parte dos sistemas e subsistemas que compõe a hidrogeologia do Distrito Federal, sendo composta por 42 estações. Cada estação contém um par de poços: um no domínio poroso, com profundidade aproximada de 30 m, e outro no domínio fraturado, com profundidade aproximada de 150 m.

Assim, a rede é composta por 84 poços de monitoramento (rasos e profundos) dedicados exclusivamente à detecção de rebaixamentos de nível da água nos aquíferos, à identificação de problemas de superexploração, à coleta de dados para modelagem e à verificação da variação espacial e temporal da qualidade da água.

mapa2

Figura 2: Rede de monitoramento de águas subterrâneas – domínio fraturado operadas pela ADASA.

mapa3

Figura 3: Rede de monitoramento de águas subterrâneas – domínio poroso operadas pela ADASA.

Qualidade da Água


Adasa realiza o monitoramento da qualidade da água desde 2009. Atualmente, a rede é composta por 59 pontos em ambientes lóticos, 18 em ambientes lênticos (reservatórios do Descoberto, Santa Maria e Paranoá), e 11 à montante e 11 à jusante das Estações de Tratamento de Esgoto da Caesb. Além disso, realiza-se o monitoramento da qualidade da água das estações da rede de monitoramento de águas subterrâneas.

 O monitoramento da qualidade da água dos reservatórios e mananciais busca a identificação de mudanças nos parâmetros bióticos e abióticos de maneira a subsidiar as ações tanto no tempo presente (gestão) quanto para viabilizar o uso futuro dos recursos existentes (planejamento).

Figura4

Figura 4: Rede de monitoramento de qualidade da água operadas pela ADASA.

 Dentre os parâmetros analisados estão: clorofila-a, temperatura, condutividade, densidade de cianobactérias, turbidez, DBO, DQO, nitrato, nitrito, nitrogênio amoniacal, nitrogênio total, oxigênio dissolvido, óleos e graxas, pH, fósforo total, fosfato, sólidos totais, sólidos totais dissolvidos, coliformes termotolerantes e Escherichia.coli.

 Pluviosidade

A verificação da quantidade de chuva, assim como sua distribuição espacial e temporal, é realizada com a utilização de estações pluviométricas distribuídas pelo território do Distrito Federal.

A figura abaixo demonstra a distribuição de chuvas no Distrito Federal no ano de 2018, utilizando a espacialização dos dados de precipitação acumulados de 15 estações telemétricas da rede da Adasa.

Figura5

Figura 5: Precipitação acumulada no Distrito Federal em 2018.