Mapas - Atualizado em Junho/2022

   

Monitoramento das Águas Superficiais

Atualmente, a rede fluviométrica e pluviométrica da Adasa é constituída por 57 estações, 16 telemétricas, 28 automáticas e 13 manuais. Para o ano de 2021, destacamos a continuidade na implementação de estações telemétricas para acompanhar, em tempo real, o comportamento dos recursos hídricos do Distrito Federal, visando promover a sua gestão sustentável.

O mapa atual da rede de monitoramento das águas superficiais encontra-se na figura abaixo.

E a lista completa das estações hidrometeorológicas da Adasa também pode ser visualizada no Sistema de Informações sobre Recursos Hídricos – SIRH (http://gis.adasa.df.gov.br/portal/home/index.html).

mapa1

Figura 1: Rede de monitoramento de águas superficiais operadas pela ADASA.

Monitoramento das Águas Subterrâneas

A Rede de Monitoramento das Águas Subterrâneas foi estruturada para abranger a maior parte dos sistemas e subsistemas que compõe a hidrogeologia do Distrito Federal, sendo composta por 42 estações. Cada estação contém um par de poços: um no domínio poroso, com profundidade aproximada de 30 m, e outro no domínio fraturado, com profundidade aproximada de 150 m.

Assim, a rede é composta por 84 poços de monitoramento (rasos e profundos) dedicados exclusivamente à detecção de rebaixamentos de nível da água nos aquíferos, à identificação de problemas de superexploração, à coleta de dados para modelagem e à verificação da variação espacial e temporal da qualidade da água.

mapa2

Figura 2: Rede de monitoramento de águas subterrâneas – domínio fraturado operadas pela ADASA.

mapa3

Figura 3: Rede de monitoramento de águas subterrâneas – domínio poroso operadas pela ADASA.

Qualidade da Água

A rede de monitoramento de qualidade das águas superficiais da Adasa é composta por 59 pontos em ambientes lóticos (córregos e rios), 18 em ambientes lênticos (reservatórios Descoberto, Santa Maria e Paranoá). O monitoramento é realizado trimestralmente, nos pontos lóticos e lênticos. 

O monitoramento da qualidade da água das águas superficiais busca a identificação de alterações nos parâmetros bióticos e abióticos de maneira a subsidiar ações tanto no tempo presente (gestão) quanto para viabilizar o uso futuro dos recursos existentes (planejamento). 

A Adasa disponibiliza no Sistema de Informações sobre Recursos Hídricos – SIRH (http://gis.adasa.df.gov.br/portal/home/index.html) o mapa da rede, indicadores e dados de monitoramento da qualidade das águas superficiais do Distrito Federal.

 

Pluviosidade

O acompanhamento da variabilidade e da distribuição temporal e espacial da chuva é fundamental para a gestão dos reservatórios, para orientar as práticas agrícolas, para a emissão de alertas e para gestão dos recursos hídricos. Por isso, existem equipamentos distribuídos em todo do Distrito Federal que registram a quantidade de chuva em tempo real.

A partir dos dados registrados por esses equipamentos e com o uso de ferramentas de geoprocessamento é possível gerar mapas com a distribuição espacial da chuva.

A Adasa disponibiliza no Sistema de Informações sobre Recursos Hídricos – SIRH (http://gis.adasa.df.gov.br/portal/home/index.html) mapas de chuva mensal, chuva média mensal, comparativo entre a chuva mensal com a chuva média mensal, chuva no ano hidrológico, chuva média no ano hidrológico e comparativo entre a chuva no ano hidrológico com a chuva média no ano hidrológico.