Escola pública do DF ganha prêmio por reúso da água e preservação de mananciais

Desde 1995, uma escola pública do Distrito Federal debate o tema da preservação das nascentes. Por meio do projeto “Plantando Água”, o Centro Educacional Agrourbano Ipê, no Riacho Fundo II, desenvolve ações para reduzir o consumo e incentivar o tratamento e o reúso da água.

A escola também trabalha na implantação de agroflorestas nas unidades de agricultura familiar, além de ter criado uma rede de proteção das águas da microbacia do Ipê, que sofre pressão com o crescimento do DF e do entorno (grilagem de terras, ocupações irregulares e descaso pela riqueza natural existente), incentivando a comunidade a cuidar dos mananciais.

A iniciativa do centro educacional foi uma das seis escolhidas na segunda-feira, dia 18 de dezembro, pelo Prêmio Professores do Brasil entre as 168 inscritas na categoria especial “Conservação e uso consciente da água”. Os projetos vencedores serão apresentados no 8º Fórum Mundial da Água, que acontecerá em Brasília, de 18 a 23 de março de 2018.

O Centro Educacional Agrourbano Ipê fica em uma comunidade agrourbana denominada CAUB I, criada a partir da proposta de reforma agrária implementada pelo Governo do Distrito Federal em 1986, próxima à Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) da Granja do Ipê, Unidade de Conservação onde estão as nascentes dos córregos Capão Preto e Ipê/Coqueiros, integrantes da bacia hidrográfica do rio Paranoá.

capatecnologiasustentavel 009 850x565

No projeto, tudo é feito por meio de tecnologias sustentáveis no quintal da escola, envolvendo o incentivo à pesquisa e à conscientização ambiental. Em parceria com o Instituto Brasília Ambiental, o centro educacional produziu a cartilha “Manual do Biodetetive - ARIE da Granja do Ipê”, para ampliar o conhecimento da comunidade sobre a área, seus mananciais e a necessidade de conservação dos corpos hídricos.

Entre os resultados do projeto estão a captação de água da chuva, a aquaponia, a recuperação do solo com o sistema agroflorestal e a construção de miniestação de tratamento do esgoto das fossas para reutilização de toda a água da escola.

A iniciativa da escola também foi uma das finalistas do Prêmio ANA 2017, concedido pela Agência Nacional de Águas, e ficou em segundo lugar na seleção brasileira para o Prêmio Jovem da Água de Estocolmo.

Prêmio Professores do Brasil

O Prêmio Professores do Brasil é concedido pelo Ministério da Educação e está em sua décima edição, sempre identificando e divulgando iniciativas de professores de escolas públicas que contribuem para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem.

A categoria especial “Conservação e uso consciente da Água”, criada em 2017, premiou as seguintes iniciativas e professores:

- Centro Educacional Agrourbano Ipê, Brasília (DF), projeto “Plantando Água, uma atuação na microbacia do Ipê”, professor Leonardo Teruyuki Hatano;


- UMEI de Santana, Santarém (PA), projeto “Lendas Amazônicas: saberes culturais sobre a conservação e o uso consciente da água, professora Adriane Gisele Sá Menezes;

- Escola Municipal Martinha Thury Vieira, Boa Vista (RR), projeto “Água: a importância do Rio Cauamé para a comunidade”, professora Wilma Marinho Craveiro da Silva;

- Escola Municipal Rui Palmeira, Maceió (AL), projeto “A lagoa é nossa: abrace esta ideia!”, professora Avani Rodrigues dos Santos;

- Escola Municipal Luiz Gonzaga, Parintins (AM), projeto “Água limpa para os curumins do Tracajá: práticas sustentáveis para se ter água limpa”, professor Valter Pereira de Menezes;

- Escola Culto à Ciência, Campinas (SP), projeto “Da nascente água corrente, a história de uma mina”, professora Aloisia Laura Moretto.

8º Fórum Mundial da Água

O Fórum Mundial da Água acontece a cada três anos e é uma iniciativa do Conselho Mundial da Água, uma organização internacional com sede em Marselha, França, composta por representantes de governos, academia, sociedade civil, empresas e organizações não governamentais, formando um significativo espectro de instituições relacionadas com o tema água.

O evento é organizado no Brasil pelo Conselho Mundial da Água (WWC), pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), representado pela Agência Nacional das Águas (ANA), e pelo Governo do Distrito Federal, representado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa). A Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) é integrante do Comitê Organizador Nacional (CON).

As sete edições anteriores foram realizadas em Marrakesh (Marrocos, 1997), Haia (Holanda, 2000), Kyoto (Japão, 2003), Cidade do México (México, 2006), Istambul (Turquia, 2009), Marselha (França, 2012) e Gyeongju e Daegu (Coréia do Sul, 2015).

Inscrições com preços promocionais até 10 de janeiro

Acompanhe as notícias do 8º Fórum Mundial da Água também nas redes sociais:
Facebook   -   Twitter   -   Instagram   -   LinkedIn