Adasa abre a Semana Lago Limpo

A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) realizou nesta terça-feira (10/9), na sede do órgão, a solenidade de abertura da Semana Lago Limpo, que consiste no conjunto de ações de instituições e sociedade civil para garantir a qualidade do Lago Paranoá.

Integram a força-tarefa, a Capitania Fluvial de Brasília, a Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) , a Brasília Ambiental (Ibram), o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) a Administração do Lago Norte, a Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe) , a Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) a Polícia Militar do DF, p Corpo de Bombeiros Militar, a Universidade de Brasília (UnB), o Comitê de Bacia Hidrográfica do Paranaíba-DF, o Serviço Social da Indústria (Sesi/Fibra) e o Movimento Ocupe o Lago.

O diretor-presidente da Adasa, Paulo Salles, destacou a importância da gestão integrada para garantir os usos múltiplos do lago. Além da força tarefa para a limpeza, as ações de parceria se concentram no Comitê de Bacia Hidrográfica de Afluentes do Rio Paranaíba-DF e no grupo de acompanhamento das cotas do lago, que define o nível ideal de água para o próximo ano. “É tudo controlado para garantir os usos múltiplos do lago, particularmente a geração de energia”, afirmou.

Nesse sentido, observou Salles, o gerenciamento tem contribuído para um ambiente regulatório bem definido, uma gestão colegiada, o uso de ferramentas para o monitoramento da qualidade e quantidade da água, e o controle da poluição. Segundo ele, o resultado desse esforço, tem repercutido na diminuição do volume de resíduos coletados nas últimas edições da Semana Lago Limpo. Enquanto em 2013 foram recolhidas 9 toneladas de resíduos, em 2017 foi coletada uma tonelada.

Ele destacou também o zoneamento do espelho do lago, feito pelo Comitê de Bacia dos Afluentes do Paranaíba-DF, que permite ao usuário identificar os locais apropriados de uso e as áreas de restrição ambiental.

Criado artificialmente em 1959, com objetivos iniciais de paisagismo, recreação e geração de energia, o lago é utilizado, desde outubro de 2018, para abastecimento público. O grande número de frequentadores e a quantidade de resíduos, somada à  drenagem urbana tem tornado a fiscalização mais rigorosa para garantir o abastecimento público. Nesse contexto, o subsecretário do Meio Ambiente, Jair Veira Tannús Júnior, considera a Semana Lago Limpo uma "iniciativa louvável" da Adasa, como ferramenta de conscientização e de envolvimento da sociedade na preservação dos recursos hídricos, com foco na destinação correta do descarte dos resíduos sólidos, para uma melhor qualidade de vida.

De sua parte, o assessor de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Caesb, Vladimir Puntel Ferreira comemora a vazão de 2.800 litros de água por segundo do Lago para abastecimento público. Segundo ele, o trabalho de despoluição foi fundamental para essa conquista. “O Lago Paranoá é o primeiro lago tropical urbano recuperado no mundo. Isso é motivo de orgulho para todos nós”, afirmou, destacando que todo o esgoto coletado no Distrito Federal é tratado. “Isso nos coloca em patamar diferenciado.O desafio agora são os anos que virão. Os investimentos não são só da companhia de saneamento, são da sociedade como um todo. Manter o lago limpo não é um desafio só da Caesb. É preciso uma gestão integrada, compartilhada não só com as instituições, mas também com o cidadão”.

O representante da Capitania Fluvial de Brasília, capitão de Corveta Custódio destacou o reconhecimento da importância do Lago Paranoá pela corporação, e a inspeção silenciosa da poluição hídrica, pelas embarcações. “A gente viaja muito pelo mundo e é difícil existir um lago dentro de uma capital com a pureza de água que o Paranoá possui. A Marinha está à disposição para colaborar com a semana Lago Limpo e de fazer o trabalho de formiguinha com os usuários de embarcações”, disse.

Participaram também da cerimônia de abertura da Semana Lago Limpo o diretor-presidente do Serviço de Limpeza Urbana (SLU), Felix Angelo Palazo, o coordenador-geral da Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), Érito Pereira da Cunha, o vice-presidente do Comitê de Bacia Hidrográfica Paranaíba-DF, Carlos Aziz, a superintendente da Unidade de Conservação da Brasil Ambiental (Ibram), Rejane Pieratti e o representante do Movimento Ocupe o Lago, Tony Lopes.

Qualidade da água

Ao final da cerimônia de abertura da Semana Lago Limpo, o diretor da Adasa, Jorge Werneck e o biólogo Fernando Starling, da Caesb, falaram sobre a qualidade do Lago Paranoá. Para Werneck a qualidade do lago melhorou, mas é preciso estar  alerta.

Segundo ele a Adasa, por regular a Caesb, acompanha todos os indicadores da concessionária, no tratamento da água, e desenvolve um serviço de acompanhamento e cadastramento da drenagem urbana. Citou também convênios com a UnB para identificar a situação de assoreamento e o tipo de material dos sedimentos provenientes de inundações e da construção civil.

“O monitoramento é fundamental, tanto para o acompanhamento quanto para a geração do conhecimento. Você precisa conhecer para fazer uma gestão melhor. A gestão precisa ser integrada, a qualidade do lago é problema de todos. A questão do uso e ocupação do solo no DF é outra coisa que impõe a todos nós mais um risco muito importante. Temos que evitar ocupações irregulares. É bom que se trabalhe com planejamento e de forma preventiva”, afirmou.

Ao final da cerimônia, o diretor-presidente da Adasa, Paulo Salles, convocou a todos para a realização de novo seminário para discutir a qualidade da água. “A qualidade da água hoje é uma das maiores preocupações do mundo", afirmou Salles, citando como exemplo os Estados Unidos, onde 1 mil novos fármacos são jogados na água e países como a França, Alemanha e Inglaterra que têm sido multados pela União Europeia por estarem acima dos níveis de nitrato.

A Semana

Na Semana Lago Limpo dois pontos do Lago Paranoá, localizados nos bosques do Ibram (em frente ao Pontão do Lago Sul e ao Lado da Ponte JK) passarão por limpeza nesta quarta e quinta-feira (dias 11 e 12/9). O serviço será executado por reeducandos do Sistema Prisional do DF.

A Semana se encerrará no sábado (14), na Praia Norte, antigo piscinão. Das 10 às 13 horas haverá oficinas e brincadeiras para as crianças; participação da mascote da Adasa, Gotita; orientação de educadores ambientais do programa Adasa na Escola; exibição de maquetes do ciclo da água; canoa havaiana, aulas de yoga e fit dance.

Haverá também a participação de mergulhadores, demonstração de equipamentos da Marinha e travessia eficiente de natação para demonstrar que pessoas com deficiência física também podem fazer uso do lago.

Assessoria de Comunicação e Imprensa
aci@adasa.df.gov.br
(61) 3961-4909/4972